Estratégias Bio/Ecopolíticas na Educação Ambiental: a mídia e o aquecimento global

Paula Corrêa Henning

Resumo


O artigo busca analisar as estratégias bio/ecopolíticas no discurso midiático do aquecimento global educando-nos para agir no meio ambiente. Utiliza-se os estudos de Michel Foucault sobre biopolítica e os desdobramentos dele no conceito de ecopolítica. Seu corpus discursivo refere-se a reportagens de dois jornais, Folha de São Paulo e El País, a respeito do aquecimento global em 2016 e 2017. O estudo analisa a ativação das estratégias bio/ecopolíticas em defesa do planeta que encontra conforto no saber da ciência e da estatística.  Pensando nos potenciais efeitos das reportagens midiáticas, tensiona-se tais discursos e seus modos de intervenção e subjetivação em tempos atuais. Junto às normalizações bio/ecopolíticas, que nos ensinam como cuidar do meio ambiente, podem se encontrar também as resistências criando novos olhares para a Educação Ambiental, apostando em fissuras nas grandes verdades que insistem em nos fazer rebanho.

Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo