Orfandade instituída e legalmente amparada: reflexões críticas sobre o “novo” Ensino Médio brasileiro

Jenerton Arlan Schütz, Vânia Lisa Fischer Cossetin

Resumo


O presente artigo examina a Medida Provisória 746/2016, convertida na Lei 13.415, situando-a no debate sobre as finalidades e o formato do “novo” Ensino Médio brasileiro. Seu intuito é apresentar os principais desdobramentos da reforma e problematizar ao menos três de seus mais notáveis abusos: i) o de tornar a escola servil aos organismos internacionais e às demandas do mercado financeiro; ii) o de colocar em risco o princípio democrático e universal da educação republicana; iii) o de autorizar os adultos a se eximirem da formação das novas gerações, transferindo tal responsabilidade para as próprias crianças e jovens. O suposto é de que os alunos terão plenas condições emocionais e intelectuais para isso. Contudo, crianças e jovens estão sendo constrangidos a tomar decisões prematuramente. Em síntese, oficialmente desamparados, tornados órfãos por decisão estatal e com amparo legal.


Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo