A escola transformando vidas de mulheres negras, ribeirinhas, na região fronteiriça Brasil-Bolívia em meados do século XX

Anselmo Alencar Colares, Maria Lília Imbiriba Sousa Colares

Resumo


O artigo aborda aspectos históricos da formação e profissionalização de professoras no Vale do Guaporé-Mamoré, na fronteira Brasil-Bolívia, discorrendo sobre questões singulares naquele contexto: mulheres negras que foram pioneiras na ação pastoral educativa de Dom Rey, bispo católico oriundo da França que se preocupou com o atendimento educacional das populações que se encontravam à margem da ação do Estado. Resulta de pesquisa bibliográfica e de campo apoiando-se em memórias das protagonistas, abrangendo as décadas de 30 a 60 do século XX. A escolarização possibilitou para aquelas mulheres acesso a outros direitos que requerem a compreensão dos códigos da escrita, produzindo significativas transformações em suas vidas e nas de outras pessoas. Sem qualquer apologia, pode-se afirmar que a escola viabilizou a profissionalização de inúmeras pessoas que viviam sem perspectivas de inserção social, como aquelas mulheres negras e ribeirinhas da região do Vale do Guaporé-Mamoré, em Rondônia.

Palavras-chave: Escola de Dom Rey, memória, profissionalização de mulheres.


Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo