As escolas dos mosteiros medievais: dinâmica social, didática e pedagogia

Paulo Fernando Diel

Resumo


Os mosteiros foram grandes centros civilizacionais na Idade Média. Sua influência e poder extrapolaram os aspectos puramente religiosos e espirituais. No seu interior, o monge dedicava-se basicamente à oração e ao trabalho (ora et labora), mas também havia espaço para o estudo e a leitura. Na Europa Medieval, o estudo era um privilégio de poucos, um luxo do clero e da nobreza. As escolas existiam basicamente em instituições eclesiais, paróquias, catedrais e mosteiros. No entanto, foi nos mosteiros que a escola teve mais efetividade e organização. Quase todos possuíam escolas que preparavam seus noviços para a vida monástica. A leitura e a escrita permitiam o acesso à bíblia e a integração do monge no complexo arranjo litúrgico da vida monástica. O fim último da educação não era o conhecimento em si, mas a salvação. Este artigo analisa a dinâmica social, a didática e a pedagógica no interior de uma escola monástica.

Palavras-chave: Idade Média, mosteiros, escola, educação.


Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues