Políticas de Formação Inicial de Professores em Portugal no Processo de Bolonha: uma análise intrainstitucional a partir de práticas de formação

Fátima Sousa-Pereira, Carlinda Leite, José Melo de Carvalho

Resumo


O estado da arte realizado no princípio do séc. XXI (Estrela et al., 2002) sobre processos de Formação Inicial de Professores em Portugal evidenciou graves problemas na organização e funcionamento desses cursos e, consequentemente, a necessidade de se operarem mudanças significativas. Nesse contexto, o Processo de Bolonha e o Regime Jurídico de Habilitação Profissional para a Docência (2007) deveriam constituir uma oportunidade para introduzir as necessárias mudanças na Formação de Professores suscetíveis de se traduzirem na melhoria da sua qualidade. O artigo apresenta alguns resultados de um estudo de orientação qualitativa que recolheu dados de opinião, através de entrevistas semiestruturadas a docentes, estudantes, elementos dos órgãos de gestão e orientadores cooperantes, e que permitiu conhecer percepções desses atores sobre as recentes políticas de Ensino Superior e de Formação de Professores e compreender avanços e limitações no processo de construção da reforma educativa em curso. Os resultados obtidos permitem afirmar que, de um modo geral, é atribuída relevância a esse processo, ao nível das orientações políticas, mas existem várias reservas relativamente à sua operacionalização.

Palavras-chave: Formação Inicial de Professores, Processo de Bolonha, políticas educativas para o Ensino Superior, mudança e inovação educacional.


Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo