Formação de docentes e pós-graduação: docente ou pesquisador? Há futuro para esse ofício?

Lucídio Bianchetti

Resumo


Este texto resulta de parte de outro que serviu de base à nossa intervenção na mesa redonda indicada. A hipótese é a de que professar o ofício da docênca e da pesquisa é trabalhar sob o signo da insegurança. Se o sistema vigente parece cada vez mais firme na rota da manutenção, o “território” onde se movem docentes e alunos parece cada vez mais movediço. Objetivando discutir esses aspectos, partimos da tese de que ensinamos/orientamos com base em uma formação que não recebemos e a formação que protagonizamos não está mostrando-se contemporânea aos desafios postos aos nossos alunos. Da tese desdobram-se quatro subteses que tratam de aspectos que explicam e justificam dificuldades de metodologia e conteúdo. O texto está baseado em dados de pesquisa desenvolvida sob os auspícios do CNPq, abordando questões da pós-graduação e conexas, e em revisão de literatura da área. Em termos de resultados, além de reflexões de contexto, concluímos que, em vez de trabalhar com disjuntivas (“e”) ou polarizações (“ou”) na formação, docência e pesquisa, seria mais adequado apreender esses processos na perspectiva das fertilizações mútuas, a partir das quais cada uma das funções da universidade poderia potencializar respostas afirmativas às interrogantes do título.

Palavras-chave: pesquisa, docência, formação, pós-graduação.


Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo