Mediações epistemológicas nas relações humanas com o meio ambiente: consequências da modernidade

Daniela Fernanda Comiran, Ireno Antônio Berticelli, Liane Keitel

Resumo


Este artigo se propõe analisar as relações entre o epistêmico e o pragmático, ou seja, entre a(s) teoria(s) do conhecimento que se adota(m) e as práticas que dela(s) decorrem, com vistas a contribuir para a reeducação, face aos graves problemas produzidos por uma relação devastadora na/contra a natureza no mais amplo sentido. Não sendo possível estudar todas as principais rupturas paradigmático-epistêmicas que postulam relações mais produtivas com o meio ambiente, em nosso tempo, o artigo centra-se nas principais consequências produzidas pela fenomenologia e seus desdobramentos, na contemporaneidade, com as decorrentes possibilidades educacionais que redirecionam as práticas e atitudes na relação entre os seres humanos e o meio ambiente. Nessa direção, a passagem da filosofia da consciência para a filosofia da linguagem é tida, aqui, como a abertura de amplo leque de formas dialógicas que se firmam na comunicação. Essa passagem determina sentidos para as práticas individuais e coletivas, em que o espaço e o tempo da educação são decisivos na mediação epistemológica das relações humanas com o meio ambiente. 

Palavras-chave: educação ambiental, epistemologia e meio ambiente, linguagem, modernidade e conhecimento.


Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo