Cultura do trabalho, produção associada e produção de saberes

Lia Tiriba

Resumo


Que saberes podem contribuir para a constituição de uma nova cultura do trabalho e para a potencialização de relações econômico-sociais que, de alguma maneira, contrariem a lógica do capital? Para trazer à tona algumas questões polêmicas sobre produção e legitimação de saberes, resgato algumas descobertas feitas ao longo de meu caminhar como pesquisadora, ressaltando que, na história do capitalismo, os trabalhadores vêm sendo excluídos do direito à educação básica, o que dificulta sobremaneira que eles tornem-se senhores do seu trabalho. No segundo momento, distinguindo as perspectivas do trabalho e do capital, enfatizo que, no regime de acumulação flexível, as novas tecnologias de produção e gestão da força de trabalho pressupõem a valorização, legitimação e certificação de saberes do trabalho. No terceiro momento, tendo em conta a necessidade de mobilização e articulação de saberes para tornar viável técnica e politicamente o trabalho associativo, resgato algumas contribuições de Gramsci que nos ajudam a pensar sobre a cultura do trabalho que vai se gestando no interior das organizações econômicas populares. Visando ao fortalecimento da economia popular solidária, finalizo com alguns referenciais teórico-práticos de uma “pedagogia da produção associada” que considere os processos de produção e socialização de saberes no trabalho associativo.

Palavras-chave: trabalho e educação, economia popular solidária, cultura do trabalho, produção de saberes do/no trabalho, pedagogia da produção associada.

Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo