Do capitalismo industrial ao pós-industrial Reflexões sobre trabalho e educação

Ivete Keil

Resumo


A história da sociedade ocidental na perspectiva da educação está intimamente ligada às grandes transformações do mundo do trabalho. Na sociedade rural, o saber passava de uma geração à outra na própria experiência vivida. O modo de agir e de pensar, portanto, era muito mais uma herança familiar e comunitária do que nos dias de hoje, em que existe maior diversidade de influências. A sociedade industrial, pressionada pela necessidade de trabalhadores com competência para trabalhar nas máquinas, portanto, com saberes específicos e disciplina de fábrica, abriu a escola para as classes pobres. Estes a inseriram em seus projetos. Na sociedade pós-industrial, onde a hegemonia do trabalho imaterial necessita de um trabalhador intelectual criativo, as exigências ao nível da educação passam a ser outras. Em todos esses tempos, contra as perversidades do capitalismo, as populações tiveram que produzir espaços de resistências e de insurreições. Neste texto, pretendo abordar essas questões. Para tanto, haverá nele dois movimentos: no primeiro, no limite de um artigo, farei uma incursão nas transformações do mundo do trabalho tendo em vista as sociedades industrial e pós-industrial; no segundo, tentarei entender as necessidades gerais da educação para o novo contexto.

Palavra-chave: educação, trabalho, capitalismo pós-industrial.

Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo