Os lugares da contemporaneidade e a escola de controle: cartografias do poder na educação

Dinamara Garcia Feldens

Resumo


Este texto é fruto de um projeto de pesquisa em desenvolvimento e que busca compreender como a escola vem se reestruturando no sentido de poder responder as novas conformações sociais e culturais da contemporaneidade. Ao olharmos mais especificamente a escola, observamos um processo de falência crescente de suas formas tradicionais de organização. A escola, uma instituição criada para responder as necessidades da sociedade disciplinar moderna, vem buscando, neste sentido, articular-se com estas novas conformações e com os diferentes tempos e espaços que por elas são engendrados. O texto que ora apresento é resultado de pesquisas realizadas numa escola pública municipal de ensino fundamental em um município do nordeste brasileiro que sofre a intervenção do Ministério Público Federal há dois anos. Esta escola se funda com base numa organização extremamente nova, que articula poder público federal, estadual, municipal, sociedade civil e empresas de cunho privado e que tem em suas materialidades o controle como articulador das relações de poder. É com base em alguns teóricos que buscam conceituar a contemporaneidade, suas diferentes linhas e a sociedade de controle que pretendo compreender como o poder age em suas estruturas institucionais naquela escola que, neste texto, receberá o nome fictício de escola do Mangue, assim como as demais escolas e nomes citados.

Palavras-chave: escola, poder, contemporaneidade.

Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo