Rompendo fronteiras: a escola aberta às parcerias e à territorialização educativa

Ernesto Candeias Martins

Resumo


O estudo, de âmbito teórico e no contexto português, aponta para a importância das relações entre a escola, a comunidade e a autarquia (parcerias e partenariado), como vetor  do desenvolvimento e da inovação. Para isso, deve-se partir da construção real de práticas  de cooperação entre as comunidades locais e as instituições sociais e educativas, numa  partilha de iniciativas e de projetos comuns com a escola (projeto educativo). A constituição de comunidades territoriais de educação é uma forma de desenvolver os valores e manter as tradições, o património ambiental, cultural e artístico, a promoção dos recursos e das  sinergias, com o objetivo de um desenvolvimento em rede, de uma cidadania europeia e para  o intercâmbio de proximidade. O autor estruturou o estudo em quatro pontos. No primeiro  aborda as parcerias entre a escola e a comunidade local, destacando o significado de parceria  e o papel do partenariado na realidade educativa portuguesa. No segundo ponto explica-se  a relação interativa entre parceria, participação e poder local. No terceiro ponto analisamse  as lógicas e as dinâmicas de parceria “educação – escola” e, no último ponto a parceria  “escola – autarquia”, de modo a promover a participação dos atores educativos, da escola e  da comunidade.

Palavras-chave: política educativa, escola, autonomia escolar, comunidade educativa, territorização, parceria, partenariado.

Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo