A “Fenomenologia do Espírito” de Hegel e “Os anos de aprendizgem de Wilhelm Meister” de Goethe

Artur Bispo dos Santos Neto

Resumo


O presente artigo tem como propósito apontar os nexos que envolvem a consciência-de-si e como esta serve de ponto de inflexão para o movimento constitutivo do espírito como o autêntico sujeito da filosofia hegeliana. Considerando que a escritura do romance não é um continuum, mas uma construção produzida no movimento de continuidade nas suas descontinuidades e de rupturas nas suas permanências, tentamos estabelecer uma aproximação entre a “Fenomenologia do espírito” e o romance de Goethe “Os anos de aprendizagem de Wilhelm Meister”, destacando os seguintes aspectos: a) a existência de uma clara diferenciação entre o estilo da escritura hegeliana e a estrutura literária romanesca; 2) o itinerário da consciência-de-si mimetiza o representado pelo personagem Wilhelm Meister, que busca a verdade acerca do seu próprio Eu; 3) a natureza científica do projeto hegeliano merece ser flexibilizada porque o movimento de descoberta realizado pela consciência presume experiência do erro.

Palavras-chave


Romance; consciência-de-si; formação; espírito; sujeito-objeto

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122