Os Fundamentos da Identidade Pessoal em Hume

Fábio Augusto Guzzo

Resumo


Em sua teoria sobre a identidade pessoal, Hume afirma que não somos nada senão um feixe de percepções. O que significa isso? Como um primeiro passo para responder essa pergunta, proponho uma análise da seção Da imaterialidade da alma (Tratado da Natureza Humana, 1.4.5), onde os conceitos de representação e causalidade desempenham papel crucial na rejeição humiana da alma enquanto noção metafísica. O artigo defende uma interpretação realista da causalidade, atribuindo a Hume a tese da conexão necessária entre pensamento e matéria. Como ferramenta auxiliar dessa análise, faço uma comparação entre as concepções de Reid e Hume acerca da natureza da mente, da representação e da causalidade: enquanto para Reid o pensamento está conjugado apenas arbitrariamente a processos físicos, para Hume o pensamento, ou a percepção, é um fenômeno fundamentalmente físico. A mente é, portanto, um conjunto de eventos físicos unidos causalmente.


Palavras-chave


Hume, Causalidade, Matéria, Mente, Reid, Representação

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122