O ESTAR-LANÇADO, A ANGÚSTIA E O MUNDO NO PENSAMENTO DE MARTIN HEIDEGGER: UMA RELAÇÃO ORIGINÁRIA

Leosir Santin Massarollo

Resumo


O critério de singularização do encontrar-se fundamental é delimitado pela angústia; este encaminhamento fruiu através da abordagem desenvolvida; em sua trajetória as configurações constitutivas vêm à luz de modo a instituir um novo significado e uma direção outra que a cotidiana.O trato com os entes e o Dasein-com como possibilidade ocorrem delimitados pela preocupação. Há uma dimensão prestidigitadora que se prolonga na forma de fuga e se expressa como derrelição, a saber, a inautenticidade. Nessas coordenadas a gente, rapace por definição, converte a ensimesmada preocupação em preocupação-com-os-outros e o trato com os entes em ocupação. A preocupação abrange a existenciaridade, a factualidade e o decair, subsumindo o querer e o desejar. Não se trata de reconhecer os limites de sua atuação. A analítica vê no modo-de-ser originário ser-em, devido as suas configurações ontológico-existenciárias, a preocupação como o que nos fala direto do abismo da vida. Essa voz é de natureza hermenêutica. Na concepção da fenomenologia como ontologia fundamental, desprovido de qualquer refúgio numinoso, é na existência que a dinâmica investigativa funda-se. Não se trata se de uma análise exegética, porém, de uma hermenêutica do Dasein a partir das complexidades decorrentes do estatuto do ser-no-mundo, da preocupação e da temporalidade.


Palavras-chave


angústia, mundo, existência, estar-lançado

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122