A filosofia natural de Thomas Hobbes: a composição das paixões humanas

Luana Broni de Araújo

Resumo


O presente artigo faz uma análise da filosofia mecanicista de Thomas Hobbes (1588-1679) e estabelece um ponto de compreensão sobre sua filosofia natural pautada no estudo da física que investiga os corpos, analisando o movimento como a única causa universal de todas as coisas, tendo este a causa em si mesmo. O movimento aplicado aos corpos naturais é também aplicado ao homem que vive em constante movimento na busca pela satisfação dos seus desejos e paixões. Ao contemplar-se o estudo da tríade: geometria, movimento e física pode-se entender sua filosofia moral que consiste nos movimentos da mente com o surgimento e manutenção das paixões, as aversões e aproximações do homem a um determinado objeto. As paixões originam-se na imaginação e na sensação humana sendo assuntos da teoria física hobbesiana. A partir disto, pretende-se inicialmente reconhecer a teoria física de Thomas Hobbes para alcançarmos um entendimento acerca do surgimento das paixões humanas.

Palavras-chave


Corpo. Natural. Mecanicismo. Paixões. Hobbes.

Referências


BERNARDES, Júlio. Hobbes e a liberdade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

CRUZ, M.S. 2013. Movimento, ação e civilização: uma defesa de um fundamento natural à Filosofia Civil de Thomas Hobbes. Porto Alegre, RS. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, 146 p.

FRATESCHI, Y. A física da política: Hobbes contra Aristóteles. São Paulo: Editora Unicamp, 2008.

GANCHO, M.A.V. 2005. Hobbes e uma teoria da ação humana. São Paulo, SP. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Judas Tadeu, 75 p.

HOBBES, Thomas. Elementos de Filosofia – Primeira Seção- Sobre o corpo – Parte I – Computação ou Lógica. Tradução e apresentação de José Oscar de A. Marques. Campinas: IFCH/Unicamp, 2005. (Clássicos da filosofia. Cadernos de Tradução12). 77p. ISSN 1676-7074

_____. Leviatã, ou matéria, forma e poder de um estado eclesiástico e civil. Coleção Os Pensadores. Tradução de João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. Ed: Victor Civita; Abril S.A. Cultural e Industrial, São Paulo, 1974.

_____. Os Elementos da Lei Natural e Política. Trad. Bruno Simões. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010.

KAYSER, Marcos. 2006. A mecânica do desejo no desencadeamento da ação no Leviatã de Thomas Hobbes. São Leopoldo, RS. Dissertação de Mestrado. Universidade do Vale do Rio Sinos – UNISINOS, 120p.

MATOS, I.D Uma descrição do humano no leviathan, de Thomas Hobbes. São Paulo: Annablume, 2007.

SILVA, H.A. As paixões humanas em Thomas Hobbes: Entre a ciência moral, o medo e a esperança. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.

SOUZA, M.E.R. 2008. Thomas Hobbes: do movimento físico à fundação do Estado. São Paulo, SP. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, USP. 228f.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122