Estética da existência, parresia e jogo: uma leitura hermenêutica filosófica da arte contemporânea

Luciane Luisa Lindenmeyer

Resumo


Este artigo trata dos elementos comuns entre os conceitos filosóficos de jogo hermenêutico gadameriano e de estética da existência e parresía foucaultianos, a partir dos quais propomos uma reflexão acerca das possibilidades hermenêuticas da experiência estética no contexto da arte contemporânea, tendo em vista o próprio movimento interativo realizado entre o sujeito e o objeto estético. Ao fundar a sua hermenêutica filosófica, Gadamer propõe uma abordagem conceitual por meio da qual a noção de jogo é um dos elementos constituintes do modelo estrutural que fundamenta as condições da compreensão enquanto modo próprio do existir humano. A abordagem foucaultiana de jogo ocorre por meio da sua reflexão sobre o conceito grego de parresía, atribuído à escola filosófica cínica, como possibilidade de produção de verdade. No contexto da hermenêutica filosófica, a experiência estética representa a abertura para a problematização da concepção de verdade objetificadora pretendida pelas ciências naturais. Por outro lado, Foucault propôs uma estética da existência vinculada à dimensão criativa da vida, a qual pode ser, pensamos, uma modalidade de produção de verdade, conforme a concepção foucaultiana de aleturgia implícita na noção de jogo parresiasta. As abordagens sobre o jogo realizadas por Gadamer e por Foucault possuem cada uma as suas especificidades filosóficas. No entanto, a articulação entre os conceitos de jogo hermenêutico, como paradigma de verdade, e jogo parresiasta, como produção de verdade a partir do cuidado de si, revela pressupostos para a reflexão hermenêutica da arte contemporânea como prática de transformação.

Palavras-chave


Estética. Hermenêutica. Jogo.

Referências


FOUCAULT, Michel. A Coragem da verdade: O governo de si e dos outros II. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

__________________. Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

__________________. História da Sexualidade. 2: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1984.

GADAMER, Hans Georg. Verdade e Método, traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. 1ª Edição. Petrópolis: Editora Vozes, 1997.

JIMENEZ, Marc. O que é estética. São Leopoldo: Editora Unisinos, 1999.

RISSER, James. Hermeneutics and the Voice of the Other, Re-reading Gadamer’s Philosophical Hermeneutics. Albany: State University of New York Press, 1997.

ROHDEN, Luiz. Hermenêutica filosófica. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2002.

SCHMIDT, D. J. On the Idiom of Truth and the Movement of Life. In: FIGAL, Günter (Hg). Internationales Jahrbuch für Hermeneutik. Schwerpunkt: 50 Jahre Wahrheit und Methode. Mohr Siebeck, 2011. p. 41-53.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122