A Responsabilidade Como Princípio Ético em Jean-Paul Sartre

Alysson Augusto dos Santos Souza

Resumo


Embora nunca tenha escrito um livro sobre o assunto, Jean-Paul Sartre é comumente tido como um filósofo moral, possivelmente por conta da conferência O existencialismo é um humanismo pela qual fez não apenas uma defesa do existencialismo contra as objeções que lhe logravam má-fama como, também, pela qual popularizou suas próprias noções sobre o indivíduo existente, e como este indivíduo, condenado à liberdade, não está verdadeiramente livre de responsabilidade. No presente texto traçaremos um caminho em vistas de explorar alguns conceitos-chave em Sartre que fundamentam sua percepção sobre a liberdade, e buscaremos entender como os pilares de seu raciocínio fenomenológico desembocam numa consequente conscientização do indivíduo sobre sua própria condição, da qual fugir por um ato de má-fé seria o mesmo que fugir da própria responsabilidade frente ao mundo, a qual se faz causa de angústia porém justifica o agir moral de um sujeito que, à primeira vista, parece ser livre para fazer o que quer. Em suma, veremos que a liberdade radical de Sartre não é tão radical assim, e por isso mesmo concilia-se com uma abordagem ética, que em sentido principiológico tomaremos como estando exposta em seu conceito de responsabilidade.


Palavras-chave


Liberdade; Responsabilidade; Ética.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122