Uso da EDAO-R para caracterizar a adaptação psicológica de mulheres atendidas em uma Unidade Básica de Saúde

Lorrayne Caroline Garcia Silva, Carolina Lopes Tambelini, Flavia Angelo Verceze, Silvia Nogueira Cordeiro

Resumo


O atendimento em saúde mental da mulher permanece limitado, pela falta de serviços especializados. Portanto, este estudo teve como objetivo apresentar características sociodemográficas de mulheres que buscaram o serviço de psicologia em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e caracterizar a adaptação psicológica delas, a fim de fornecer subsídios para a intervenção multidisciplinar. Foram realizadas triagens com uma amostra, escolhida de forma aleatória, das mulheres que procuraram atendimento psicológico na UBS e que tinham acima de 18 anos. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas, seguindo o roteiro da Escala Diagnóstica Adaptativa Operacionalizada Redefinida (EDAO-R). A análise de dados foi realizada de acordo com os critérios da escala utilizada, de forma quantitativa. Cerca de 50% das mulheres apresentaram como resultado adaptação ineficaz grave ou severa. Os resultados mostraram que as queixas estão principalmente relacionadas com o setor afetivo-relacional, indicando que as intervenções deveriam enfocar esses aspectos e suas implicações em outros setores.

Palavras-chave: EDAO-R, saúde da mulher, UBS.


Texto completo: PDF



ISSN: 1983-3482 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [Atualizado em 26/09/2016].

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues