Psicoterapia mãe-bebê: uma intervenção no contexto da prematuridade

Márcia Pinheiro Schaefer, Tagma Marina Schneider Donelli

Resumo


Este estudo descritivo e exploratório visou descrever uma intervenção psicoterápica realizada com duas duplas mãe-bebê prematuro, durante a internação em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), compreendendo sua repercussão na capacidade de mentalização materna e na interação mãe-bebê. Obtiveram-se os dados através da Ficha de Dados Sociodemográficos e Clínicos, da Entrevista de História de Vida da Mãe, da Filmagem de Interação Livre Mãe-Bebê, da Entrevista de História da Internação e do registro das intervenções. Efetivou-se uma análise qualitativa através de quatro eixos temáticos: (a) o ambiente das intervenções; (b) o período inicial, de observação e interação mãe-bebê; (c) o período final, de comunicação entre mãe e pesquisadora; e (d) percepções maternas sobre a intervenção. Os resultados indicaram que a intervenção gerou mudanças na capacidade de mentalização materna e aumentou sua sensibilidade quanto às necessidades iniciais do bebê, repercutindo positivamente na interação mãe-bebê. Concluiu-se que o estudo contribuiu para a viabilidade da aplicação de intervenções estruturadas centradas nas relações iniciais mães-bebês prematuros em UTIN.

Palavras-chave: intervenção, prematuridade, mentalização, interação mãe-bebê.


Texto completo: PDF



ISSN: 1983-3482 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [Atualizado em 26/09/2016].

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues