Comportamento antissocial em usuários de cocaína-crack

Fernanda de Almeida Ribeiro, Fernanda Cerutti, Ana Carolina Maciel Cancian, André Luiz Moreno, Irani Iracema de Lima Argimon, Margareth da Silva Oliveira

Resumo


Comorbidades associadas ao uso de cocaína-crack são um desafio para quem trabalha em serviços psiquiátricos com esta população, entretanto poucos estudos analisam o efeito destas comorbidades nos usuários. Objetivo: Comparar usuários de cocaína-crack com a população geral em relação ao comportamento antissocial. Método: Estudo transversal, quantitativo e descritivo com uma amostra de 971 adultos de 18-59 anos, escolhidos por conveniência, divididos em dois grupos – usuários de cocaína-crack e população geral. Para acessar aspectos psicopatológicos foi utilizado a escala Adult Self-report (ASR). Resultados: Uma análise estatística de associação realizada através do teste Qui Quadrado mostra uma relação significativa entre usuários de cocaína-crack e comportamento antissocial (p = 0.001). Uma análise de regressão logística binária pelo método backward gerou um modelo com características associadas à gravidade do uso de cocaína-crack: homens, adultos com idades entre 30 e 39 anos, com baixa escolaridade e classificação clínica para problemas de personalidade antissocial (OR = 14.466). Conclusões: Os resultados encontrados enfatizam a importância da detecção precoce do comportamento antissocial em associação com o uso de cocaína-crack para uma possível melhora do tratamento e um melhor prognóstico.

Palavras-chave: cocaína-crack, comportamento antissocial, psicopatologia.


Texto completo: PDF (English)



ISSN: 1983-3482 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [Atualizado em 26/09/2016].

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues