Campo e função dos sentimentos da terapeuta na relação terapêutica

Rosânia Ataíde Dourado Santo, Luc Vandenberghe

Resumo


O presente estudo aborda o papel dos sentimentos do terapeuta e como estes podem ser relevantes no processo terapêutico. Pretende-se verificar como a consideração cuidadosa dos sentimentos do terapeuta ajuda a fazer opções terapêuticas bem direcionadas. Para isso, momentos específicos de dois casos conduzidos de acordo com a psicoterapia analítica funcional são discutidos. A análise se concentra nos conceitos de T1 e T2 que caracterizam os comportamentos do terapeuta no modelo teórico da psicoterapia analítica funcional. Fragmentos dos casos são analisados para verificar como comportamentos improdutivos da terapeuta (T1) e comportamentos terapêuticos efetivos (T2) se relacionam com a discriminação dos sentimentos da terapeuta. O material ilustra que a observação dos sentimentos da terapeuta pode ajudar a detectar contingências problemáticas no relacionamento com o cliente e prevenir condutas terapêuticos ineficientes. Além disso, a discriminação adequada dos sentimentos que o cliente evoca na terapeuta pode ajudar na escolha de intervenções terapêuticas mais produtivas. Conclui-se que terapeutas devem cultivar uma atenção especial aos seus sentimentos, porque estes podem conter dicas sobre os problemas do cliente, podem esclarecer o que está ocorrendo na sessão e podem ajudar a atuar com sensibilidade.

Palavras-chave: sentimentos, relação terapêutica, psicoterapia analítico funcional.


Texto completo: PDF



ISSN: 1983-3482 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [Atualizado em 26/09/2016].

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues


Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo