António e as Variações identitárias da cultura portuguesa contemporânea

Paula Guerra

Resumo


Este artigo centra-se na análise preliminar de um conjunto de letras musicais de António Variações (1983a, 1983b, 1984) que consideramos serem representativas das identidades múltiplas e plurais que trespassam a contemporaneidade portuguesa desde os anos 1980 até a atualidade. Esta abordagem da cultura portuguesa contemporânea focada em António Variações assume um sentido dúplice: o das palavras de Fernando Pessoa, quando apontou a importância de ser “plural como o universo”; bem como no sentido de que cada ator social pode corresponder a múltiplas identidades sociais (sendo, ao mesmo tempo, por exemplo, português, barbeiro, católico, bracarense, músico e artista de variedades). Aqui, e com António Variações, analisaremos a identidade cultural como um processo (como uma história e como uma representação) plural, antinómico e recursivo. Este exercício situa-se na necessidade de um renovado entendimento epistemológico (Guerra, 2015b; Silva e Guerra, 2015; Guerra e Silva, 2014; Guerra e Januário, 2016) acerca do campo das artes, enquanto produtor de conhecimento, ao representar de forma própria e autónoma a realidade social, interferindo nesta, e ao condicionar e gerar análises e interpretações no seio do conhecimento instituído.

Palavras-chave: António Variações, anos 1980, identidades culturais, local-global, tradição-modernidade.


Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6229 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. [atualizado em 25/05/2016]

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 - Banner artwork by Z Shinoda.
Projeto gráfico: Jully Rodrigues