Das artes tradicionais à economia criativa: a pintura indígena da Austrália e sua inserção no sistema das artes

Ilana Seltzer Goldstein

Resumo


A economia contemporânea, marcada por uma intensa globalização e pelas novas tecnologias de informação e comunicação, tem assistido a um incrível aumento da competitividade. Foi nesse cenário que os valores intangíveis e os significados culturais agregados aos produtos se tornaram tão ou mais importantes que sua funcionalidade. Particularmente nos setores que compõem a chamada economia criativa, como o design, as artes visuais, a música, a moda, a gastronomia, etc., os bens e serviços passaram a se destacar por sua singularidade e por terem, simultaneamente, valor econômico e valor simbólico. Tendo esse cenário como pano de fundo, o presente texto apresenta um estudo de caso ancorado na Austrália, que revela como o segmento da arte indígena se tornou parte da economia criativa naquele país, possibilitando uma ocupação culturalmente significativa e economicamente viável para comunidades tradicionais em situações de contato. Por fim, sugere-se a relevância de abordagens interdisciplinares para a análise de práticas artístico-culturais.

Palavras-chave: economia criativa, arte indígena, pintura aborígene australiana.


Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6229 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. [atualizado em 25/05/2016]

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 - Banner artwork by Z Shinoda.
Projeto gráfico: Jully Rodrigues


Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo