A pesquisa como ferramenta de ensino em sociologia: sentidos, obstáculos e potencialidades em livros didáticos e em práticas docentes

David Gonçalves Soares

Resumo


O artigo apresenta uma reflexão introdutória sobre o uso da pesquisa como ferramenta de ensino em sociologia, premissa que consta em documentos normativos como as Orientações Curriculares para o Ensino Médio e a inconclusa Base Nacional Comum Curricular. O objetivo do artigo é refletir sobre as possibilidades de utilização dessa ferramenta, que vem sendo apresentada como um ideal perseguido no campo de ensino em sociologia. A partir da exposição dos sentidos associados a ela, o trabalho analisa as propostas de pesquisa de dois manuais didáticos, bem como sua interpretação por professores entrevistados em uma escola considerada de excelência (CAp-UERJ). Dentre os resultados, destacam-se: a distinção entre os tipos de pesquisa mais informativos e os mais sistemáticos e metodológicos, a existência de um aparente consenso quanto à importância da pesquisa no ensino de sociologia e a polissemia com que professores identificam o termo “pesquisa”. Além disso, foram identificados obstáculos estruturais para a rotinização do uso didático da pesquisa sociológica, como: o tempo exíguo destinado à disciplina na grade curricular; a ausência de um clima escolar que estimule e crie mecanismos propiciadores de inovação pedagógica; deficiências na formação de professores, que não privilegia a pesquisa enquanto princípio de ensino; e a necessidade de um quantum de capital cultural dos alunos para a utilização profícua dessa ferramenta didática.

Palavras-chave: ensino de sociologia, livro didático de sociologia, pesquisa e ensino.


Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6229 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. [atualizado em 25/05/2016]

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 - Banner artwork by Z Shinoda.
Projeto gráfico: Jully Rodrigues