Um percurso vivido: pluralizando histórias e memórias a partir do projeto “Territórios Negros”

Francieli Renata Ruppenthal

Resumo


Este artigo tem como base uma parte da reflexão realizada em minha dissertação de mestrado, que abordou o projeto “Territórios Negros: Afro-Brasileiros em Porto Alegre”. O projeto “Territórios Negros”, que possui o objetivo de auxiliar a implementação da Lei Federal 10639/03, consiste em um ônibus que percorre áreas centrais de Porto Alegre com a finalidade de levar, sobretudo, o público escolar a conhecer os chamados “territórios negros”. A partir da observação direta dos percursos, etnograficamente, este artigo apresenta algumas percepções, narrativas, histórias e memórias dos participantes e da equipe que compõe o projeto, através da reflexão teórica de autoras como Jardim (2013), Chagas (2005), Leite (1991) e Rolnik (1989). Percorrendo ponto por ponto e enfatizando as múltiplas vozes que dão vida ao percurso e conferem sentidos aos chamados territórios negros, é possível notar reflexões sobre diversas questões que envolvem a temática étnico-racial, como, por exemplo, o racismo. Conclui-se que os efeitos que o projeto vem produzindo superam as expectativas dos idealizadores, situando-se entre o não e o tão esperado.

Palavras-chave: Lei 10.639/03, Territórios Negros, reconhecimento.


Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6229 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. [atualizado em 25/05/2016]

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 - Banner artwork by Z Shinoda.
Projeto gráfico: Jully Rodrigues


Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo