De Revolutionibus

Franz Josef Brüseke

Resumo


Durante quase um século, com consequências para alguns partidos ocidentais até hoje, a social-democracia alemã forneceu a matriz para a disputa entre diversas correntes internas. Na última década do século XIX, divide-se o campo social-democrata em vertentes ideológicas que vão de uma ala mais “moderada”, a qual favorece o trabalho político dos pequenos passos dentro da lei, perpassando o chamado centro-marxista com maioria na presidência do partido social-democrata, até correntes mais “ativistas”, que defendem uma ruptura “revolucionária” com a sociedade burguesa como tal. O campo moderado tem fortes afinidades com o sindicalismo, com alguns aliados intelectuais, que desafiam a retórica “marxista” do partido social-democrata por meio de teses “reformistas” e “revisionistas”. Chamamos atenção para esta constelação de conflito ideológico, dentro do “esquerdismo” alemão mais do que a cem anos atrás, pois ela fornece a matriz das disputas e lutas dentro e entre os partidos da “esquerda” durante praticamente todo o século XX. No centro da disputa, encontramos um conceito: a revolução.

Palavras-chave: revolução, social-democracia, movimento dos operários, Europa.

Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6229 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. [atualizado em 25/05/2016]

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 - Banner artwork by Z Shinoda.
Projeto gráfico: Jully Rodrigues


Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo