As correntes interacionistas e a sua repercussão nas teorias de Anthony Giddens e Bruno Latour

Karine Pereira Goss

Resumo


Esse artigo aborda três importantes correntes qualitativas críticas ao funcionalismo: a fenomenologia social, o interacionismo simbólico e a etnometodologia. Inicialmente são apresentadas as principais teorias e autores que influenciam cada uma dessas abordagens. Em seguida, discutem-se os principais pressupostos teóricos e metodológicos de cada uma delas, seus pontos em comum, bem como seus representantes mais importantes. Depois, procede-se à análise do papel que estabelecem para a cognoscitividade do agente, sendo esse um dos princípios fundamentais que perpassa as três escolas. Procurar- se-á demonstrar ainda como dois sociólogos contemporâneos – Anthony Giddens e Bruno Latour – herdeiros de distintas tradições sociológicas compartilham de alguns dos principais preceitos dessas abordagens. Finalmente, além de refletir sobre as contribuições que as três correntes trouxeram às ciências sociais, o artigo procura demonstrar que uma das maneiras de a sociologia recuperar a perspectiva criativa é retomar o conhecimento teórico aliado ao estudo empírico desenvolvido pelas escolas interacionistas.

Palavras-chave: escolas interacionistas, Anthony Giddens, Bruno Latour, cognoscitividade.

Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6229 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. [atualizado em 25/05/2016]

Signatária da Declaração de São Francisco sobre Avaliação da Pesquisa – DORA

 

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 - Banner artwork by Z Shinoda.
Projeto gráfico: Jully Rodrigues



Crossref Member Badge

Crossref Similarity Check logo

 

Redalyc - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal

GoogleScholar