O Parlamento do Mercosul em sua primeira fase: uma análise preliminar da transnacionalização da política no Cone Sul

George Gomes Coutinho

Resumo


A política sob o signo da globalização encontra formas diversas de reação em diferentes pontos do mundo, seja nos países centrais ou em realidades periféricas. Neste artigo, discute-se a experiência do Parlamento do Mercosul, situado no Cone Sul, focando os movimentos estruturais de maior extensão deflagrados pela aceleração da face sistêmico-instrumental da modernidade contemporânea. Argumenta-se que esta experiência, em resposta à globalização, deve ser discutida frente aos elementos que particularizam a “modernidade negativa”, o que inclui a dificuldade perene de diferenciação funcional-sistêmica dos seus diferentes subsistemas constituintes. Este ponto fundamental na caracterização da “modernidade negativa” é mobilizado, neste estudo, como fator explicativo para as dificuldades de estabelecimento de um parlamento transnacional na periferia do capitalismo.

Palavras-chave: Parlamento do Mercosul, globalização, modernidade negativa.

Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6229 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. [atualizado em 25/05/2016]

Signatária da Declaração de São Francisco sobre Avaliação da Pesquisa – DORA

 

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 - Banner artwork by Z Shinoda.
Projeto gráfico: Jully Rodrigues



Crossref Member Badge

Crossref Similarity Check logo

 

Redalyc - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal

GoogleScholar