Promoção de saúde e participação social: o modelo de atenção básica do Sistema de Saúde Brasileiro

Breno Augusto Fontes, Rogério de Lima, Jorge Alexandro de Lima

Resumo


A reforma sanitária no Brasil introduziu uma série de mecanismos de gestão que incorporam, por um lado, a prática de participação popular e, por outro, a ênfase na promoção da saúde. Os mecanismos de participação popular são diversos, tais como conselhos municipal, estadual e federal de saúde e a incorporação dos movimentos sociais na formulação de políticas de saúde . Neste artigo, tratamos de uma prática de participação popular em saúde que vem sendo experimentada a partir da introdução dos programas de saúde comunitária, inicialmente com os PACS (Programa de Agentes Comunitários de Saúde), depois com o PSF (Programa de Saúde da Família). A partir da mediação estabelecida entre a comunidade e os trabalhadores de saúde com os Agentes comunitários de saúde, analisamos essa prática assumida como instrumento de inclusão territorial e comunitária nas políticas de saúde. Com um estudo empírico em quatro cidades brasileiras, avaliamos a adequação do modelo a distintas realidades socioculturais e os obstáculos à plena realização dos ideais de democracia participativa.

Palavras-chave: saúde, redes sociais, Programa Saúde da Família.


Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6229 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. [atualizado em 25/05/2016]

Signatária da Declaração de São Francisco sobre Avaliação da Pesquisa – DORA

 

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 - Banner artwork by Z Shinoda.
Projeto gráfico: Jully Rodrigues



Crossref Member Badge

Crossref Similarity Check logo

 

Redalyc - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal

GoogleScholar