Praticantes de língua inglesa e os processos de ensinoaprendizagem

Luciana de Jesus Lessa Censi, Rosane Meire Vieira de Jesus

Resumo


Este artigo pretende trazer à tona as maneiras com que alguns praticantes de língua inglesa (LI) como língua estrangeira, do 7º ao 9º ano do ensino fundamental de uma escola pública, compreendem os processos de ensinoaprendizagem nesse idioma. Diante da reconfiguração das práticas sociais no cenário da cultura digital, conhecer esses praticantes, ouvi-los e interpretá-los se mostraram como alternativas para entender como acontecem os processos de ensino-aprendizagem de LI conforme o cotidiano escolar e as expectativas desses praticantes para o desenvolvimento de habilidades linguísticas: reading, writing, speaking e listening. Considerando que os praticantes são caracterizados por desenvolver táticas e criações para subverter situações da realidade que lhes é dada, foram utilizados grupos de diálogo, na perspectiva do estudo qualitativo e de uma abordagem hermenêutica. Com a pesquisa, revela-se que os praticantes de LI querem aprender línguas que são chamadas de estrangeiras, mas que, na verdade, são línguas cotidianas para eles devido à cibercultura, por onde trilham cada vez mais para usos autorais em rede.

Palavras-chave: praticantes de língua inglesa, diálogo, cibercultura.


Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6202 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122

Projeto gráfico: Jully Rodrigues

 

SCImago Journal & Country Rank