Rupturas e continuidades na Linguística Aplicada Crítica: uma abordagem historiográfica

Autores

  • Marco Túlio de Urzêda Freitas Universidade Federal de Goiás (UFG)
  • Rosane Rocha Pessoa Universidade Federal de Goiás (UFG)

Resumo

Neste texto, valemo-nos de princípios da Historiografia Linguística para apresentar algumas rupturas e continuidades teóricas do conceito Linguística Aplicada Crítica. Amparados por pressupostos teóricos da Linguística Aplicada e da Linguística Aplicada Crítica, descrevemos e analisamos os cinco tipos de política apresentados por Alastair Pennycook na obra Critical applied linguistics: a critical introduction. Ao final, concluímos que esses cinco tipos de política apontam para a politização dos estudos em Linguística Aplicada e, ao mesmo tempo, para a continuidade das refl exões que buscam legitimar a cientificidade e a relevância social desse campo de pesquisa.

Palavras-chave: rupturas e continuidades, linguística aplicada crítica, historiografia linguística.

Biografia do Autor

Marco Túlio de Urzêda Freitas, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Marco Túlio de Urzêda Freitas é graduado em Letras, habilitação Inglês, pela Universidade Federal de Goiás (doravante UFG). Atuou como professor de inglês no Curso Pré-Vestibular da Comunidade FazArte da UFG e como colaborador em atividades de pesquisa e ensino no Colégio Estadual Prof. Pedro Gomes. Atualmente é aluno regular do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da UFG, nível Mestrado. É professor auxiliar da Faculdade de Letras da UFG, ministrando aulas no Curso de Licenciatura Intercultural do Núcleo Takinahaky de Formação Superior Indígena, e professor de inglês no Centro de Línguas da UFG. Representa a América Latina no grupo de escritores/as convidados/as (guest writers) do GAB (Gender Across Borders: a Global Feminist Blog), um site no qual publica, esporadicamente, textos sobre raça, gênero, sexualidade, língua(gem) e educação. Participa de três grupos de estudos vinculados ao CNPq: 'Grupo de Pesquisa em Ensino e Aprendizagem de Língua Estrangeira', 'Grupo de Estudos Linguísticos Pós-estruturalistas e Práticas Identitárias' e 'Formação de professores de língua estrangeira'. Tem experiência na área de Linguística Aplicada, com ênfase nos seguintes temas: ensino de línguas estrangeiras/inglês; pesquisa colaborativa; formação crítica de professores/as de línguas; currículo e diversidade cultural; crítica do conhecimento; estudos feministas, pós-coloniais e decoloniais em Linguística Aplicada; língua(gem) e práticas contra-hegemônicas; e formação intercultural bilíngue de professores/as indígenas.

Rosane Rocha Pessoa, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Rosane Rocha Pessoa possui graduação em Letras Modernas Inglês pela Universidade Federal de Goiás (1984), mestrado em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás (1989) e doutorado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (2002). Atualmente é Professora Associada da Universidade Federal de Goiás. Tem experiência na área de Linguística Aplicada, com ênfase em Formação de Professores/as de Língua Estrangeira, pesquisando principalmente os seguintes temas: ensino crítico de língua estrangeira, formação crítica de professores/as, pesquisa colaborativa e mudança de professores/as. Organizou, juntamente com a professora da UFMT Julma Dalva Vilarinho Pereira Borelli, o livro "Reflexão e crítica na formação de professores de língua estrangeira".

Downloads

Publicado

2012-08-15

Como Citar

Urzêda Freitas, M. T. de, & Pessoa, R. R. (2012). Rupturas e continuidades na Linguística Aplicada Crítica: uma abordagem historiográfica. Calidoscópio, 10(2), 225–238. Recuperado de http://revistas.unisinos.br/index.php/calidoscopio/article/view/cld.2012.102.09

Edição

Seção

Artigos