MODELAGEM DE PONTES TÉRMICAS NA ZONA BIOCLIMÁTICA 2: CINCO DIFERENTES ABORDAGENS

Julye Ramalho de Freitas, Rodrigo Karini Leitzke, Eduardo Grala da Cunha

Resumo


As pontes térmicas são pontos vulneráveis presentes no envelope das edificações e influenciam no desempenho termoenergético e ainda trazem consequências ao fechamento opaco, como o favorecimento na formação de fungos filamentosos. Os impactos das pontes térmicas e a sua consideração nos cálculos de transmitância térmica têm sido discutidos em diversos lugares do mundo e em regiões de climas frios no Brasil. Este trabalho tem como objetivo avaliar o impacto de pontes térmicas de estrutura de concreto armado em uma edificação residencial na zona bioclimática 2, considerando cinco abordagens para modelagem de pontes térmicas no software de simulação computacional EnergyPlus. Os resultados mostram que o tipo de abordagem utilizada para modelagem na simulação computacional influencia nos valores de consumo energético da edificação. As diferentes modelagens testadas apresentaram variações no consumo energético quando comparadas às estratégias que consideraram os cálculos das pontes térmicas com a abordagem que desconsiderou este cálculo, sobretudo nos edifícios com maiores níveis de isolamento térmico, onde foi possível identificar diferenças de até 13% no consumo de energia. As conclusões observadas no trabalho mostram que o nível de isolamento do envelope é um dos fatores que interfere nas diferenças de consumo entre as abordagens avaliadas para as pontes térmicas.

Palavras-chave: Pontes térmicas lineares, Simulação Computacional, Desempenho energético.

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4013/arq.2020.162.08



ISSN: 1808-5741 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122

Os croquis utilizados no banner (da esquerda para a direta): Pavilhão do Brasil na Expo 70 (Osaka, Japão) e Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) do arquiteto Paulo Mendes da Rocha©.

Projeto gráfico: Jully Rodrigues
 
 
 
 
  
 
 
 
 
 
 
 
 
 

SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo