O papel do capital na desconstrução do espaço social no Brasil

Guilherme Shoiti Ueda, José Francisco, Carolina Maria Pozzi Castro

Resumo


O presente texto procura descrever, de forma sucinta, o processo através do qual o capital opera a desconstrução e a fragmentação do espaço social no contexto brasileiro, em momentos distintos da história. Procura-se demonstrar, para cada período, fatos históricos que, resultantes dos interesses capitalistas, levam a transformações no espaço social, refletindo-se na disposição física dos espaços habitados. Para tanto, após a apresentação dos conceitos principais nos quais se baseia a leitura histórica, é realizada uma descrição dos espaços pré-capitalistas, desde as aldeias tradicionais, passando pelas formações dos primeiros aglomerados urbanos, e sucessivamente por sua transformação em cidades, primeiro como postos comerciais, até a ascensão da indústria. Em cada momento, busca-se revelar a correlação que se estabelece entre a ação do capital, as transformações na sociedade e a formação dos espaços urbanos. É apresentada, por fim, uma reflexão acerca das cidades contemporâneas no Brasil, alguns dos fenômenos que ali se verificam, e sua possível relação com a desconstrução do espaço social.

Palavras-chave: espaço social, desconstrução, espaços urbanos.


Texto completo: PDF



ISSN: 1808-5741 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219

Os croquis utilizados no banner (da esquerda para a direta): Pavilhão do Brasil na Expo 70 (Osaka, Japão) e Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) do arquiteto Paulo Mendes da Rocha©.

Projeto gráfico: Jully Rodrigues

SCImago Journal & Country Rank