Louis Kahn: arquitetura – concepção teórica e ensino de projeto

Marcos Favero

Resumo


A existência histórica de uma tensão, de uma relação problematizada entre teoria e prática no campo da arquitetura – no limite, entre academia e ambiente profissional –, na qual discursos tendem a um distanciamento da realidade, enquanto que a prática, carente de fundamentos que lhe confiram legitimidade, incorre no risco de uma produção irrefletida, corrobora para o estabelecimento de uma situação pendular: teoria x prática, em vez da instauração de uma forma relacional: teoria e prática. Considerando essa forma como um princípio, portanto fundamental no que diz respeito ao ensino de arquitetura, e mais especificamente de projeto, o artigo procura estabelecer uma via de ligação entre o trabalho de Louis I. Kahn e teorias e práticas vinculadas à reflexão sobre o ensino de projeto em arquitetura nos dias de hoje. Para tanto, busca compreender a postura adotada por Kahn – sobretudo pela percepção do discurso do próprio arquiteto – em relação ao fazer arquitetura, o que implica em compreender de que modo este interpreta a realidade, como define para si próprio a maneira de tratar o problema do projeto e o consequente rebatimento na sua forma de ensinar arquitetura, considerada aqui exemplar na medida em que caracteriza processo claramente delimitado e transmissível no qual a interpretação da arquitetura construída, como autêntica segunda natureza que a história foi gerando, encontra-se associada a valores básicos do projeto moderno, porém, ainda relevantes: humanismo, projeto social, vontade de renovação formal e tecnológica.

Palavras-chave: Louis Kahn, arquitetura, concepção teórica, ensino de projeto.


Texto completo: PDF



ISSN: 1808-5741 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219

Os croquis utilizados no banner (da esquerda para a direta): Pavilhão do Brasil na Expo 70 (Osaka, Japão) e Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) do arquiteto Paulo Mendes da Rocha©.

Projeto gráfico: Jully Rodrigues

SCImago Journal & Country Rank